Apresentação

A memória das pessoas e de suas famílias é o primeiro elo na composição da memória do grupo social que compõe um país. De pais para filhos, de geração para geração, na vida cotidiana, através dos séculos, as pessoas transmitem suas experiências, seus preceitos e seus ensinamentos úteis. É no ato de evocar as lembranças que histórias de vida são resgatadas.

Assim, a memória familiar é imprescindível para a reconstituição do passado, seja individual ou coletiva, sendo considerada um recurso fundamental para a apreensão da identidade e da História.

Sabe-se que um dos problemas que atinge a sociedade atual é a desestruturação da chamada “família tradicional”, o que promove um afastamento maior entre os seus membros, bem como o desinteresse e o desconhecimento da maioria dos jovens pela sua história familiar. Daí a importância de se resgatar esta memória, para que ela não desapareça.

A família representa a grande escola onde aprendemos conceitos básicos para nossa vida social; respeito, ética, moral, honestidade, amor fraternal e filial, enfim, é a Sede dos Valores Morais e formação da dignidade da pessoa. Esta obra quer celebrar esses valores.

Queremos preservar a memória de nossos antepassados e enaltecer o seu legado. Homenagear todos aqueles que contribuíram corajosamente para trazer até as gerações presentes nossos valores e costumes.

Desejamos possibilitar o contato entre os vários descendentes desta família, que a partir da leitura desta obra ou da visita ao site dedicado a ela (endereço do site), possam ter interesse em saber mais sobre suas raízes.

Entretanto, narrar as memórias de nossa vida não é algo fácil, muito pelo contrário, requer esforços e dedicação, afinal, segundo Ecléa Bosi “A memória não é sonho, é trabalho”. Trabalho no sentido de reviver, refazer, reconstruir, com imagens e ideias de hoje as experiências do passado.

Como ponto de partida para a realização deste trabalho, utilizamos as obras literárias de Monsenhor Augusto de Araújo Lima, Mozart Soriano Aderaldo e Valdemar Oliveira de Macedo, grandes expoentes da nossa literatura regional, que dedicaram boa parte de suas obras ao resgate da história da nossa família.

Esperamos, assim, que esta obra seja vista como o início de um processo e não como o fim de uma missão, afinal, o resgate e a preservação da nossa História devem ser vistos como um compromisso de toda uma vida, cujo processo nunca se esgota.

Ricardo Nezinho